Canguçu, terça-feira, 25 de julho de 2017, 23h41
Compartilhe:
CULTURA - 31/08/2016
Advogado Max Telesca lança a ficção '2038'
Foto: Divulgação/Metrópoles
O livro, que já lançado em Brasília, será lançado em Porto Alegre no sábado, dia 3
O livro, que já lançado em Brasília, será lançado em Porto Alegre no sábado, dia 3
O livro, que já lançado em Brasília, será lançado em Porto Alegre no sábado, dia 3

No ano de 2038, um país chamado Lisarb — Brasil ao contrário — alcança o crescimento econômico contínuo, tem um presidente com 90% de aprovação e encontra finalmente seu lugar entre as grandes potências. Sustentando esse progresso, porém, está o sistema de approach, um derivado do lobby que, antes considerado ilegal, passou a ser a regra.

2038
“Com a codificação do approach, toda a sociedade adquiriu o direito de levar vantagem em todos os negócios de seus semelhantes, e as máximas antigas ‘quanto vou levar nisso’ ou ‘o que ganho com isso?’ deixaram de ser hipocritamente vistas de modo pejorativo para se tornarem um modo correto e lícito de ganho” (trecho)

Nesse cenário, o advogado Canguçuense Max Telesca ambienta o romance “2038” (Editora Chiaco, 272 págs, R$ 35). É a primeira experiência de Telesca como autor de ficção a chegar ao público — ele tem um outro romance inédito, “Mortes Modernas”, que pretende lançar, “mas precisa passar por alguns ajustes”. O livro, que já lançado em Brasília, será lançado em Porto Alegre no sábado, dia 3.

Realidade e imaginação
Nos últimos 20 anos, a vida de Max Telesca gira em torno do direito. Nascido em uma família de advogados, ele formou-se em 1997, na Universidade Federal de Pelotas, e logo se mudou para Brasília. Aqui, especializou-se em tribunais superiores, processo civil e direito penal, ao mesmo tempo em que sobressaía pela atuação política na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Muito do que viveu, viu e ouviu no cotidiano deu ao autor base para escrever “2038”. “Sem dúvida, a realidade brasileira é o ponto de partida para a inspiração do autor. E nessa realidade política a corrupção é o tema central. Daí parte o fio do universo ficcional, que tem sua própria realidade”, afirma Max Telesca.

Admirador de escritores como Dostoiévski, Erico Veríssimo, Guimarães Rosa, Franz Kafka, Aldous Huxley e George Orwell, Telesca admite a influência desses dois últimos na criação do mundo distópico de “2038”. “Até reli as obras de Orwell”, conta.

Sempre tive necessidade de escrever coisas que não fossem jurídicas, sem o linguajar técnico. A arte é o que nos salva na vida, nós temos essa necessidade"

Max Telesca, advogado e escritor

Direito e literatura
Envolvido na rotina de pareceres e processos, Telesca conta que o processo de escrita de “2038” foi “extremamente difícil”. “A rotina da advocacia é minha vida, minha profissão. A realidade da advocacia é muito presente, me confundo com ela. É estafante, toma tempo”.

Por conta disso, metade do livro foi escrito em intervalos, momentos de lazer, no meio da noite, em fins de semana e até em viagens de avião. Quando sentiu que o trabalho devia ser concluído, o autor se recolheu por 15 dias em Pirenópolis e finalizou a segunda parte da história.

“2038” já está disponível para venda no site da livraria Cultura e, após o lançamento, poderá ser encontrado também no formato físico.

Com informações de Metrópoles.

  

Veja mais imagens:
Confira também:
VÍDEO: A alegria da cultura Pomerana no interior
Hospital de Caridade recebe a exposição Fases do saber
Zero Quattro lança o vídeoclipe ''Jogador Caro''
Mostra de curtas-metragens será realizada nesta sexta-feira
Mostra de curtas-metragem será realizada nesta sexta-feira
FOTOS: Canguçu assiste à encenação da Paixão de Cristo
Cantor José Victor Eslabão lança o primeiro CD neste sábado
Prezado leitor:
- Para enviar um comentário, é preciso possuir uma conta no Facebook e fazer login nela.
- O comentário é de inteira responsabilidade do autor da mensagem e não representa a opinião do site Canguçu On Line.
 
ENQUETE
Sobre a exposição de veículos para venda em via pública:
Deve ser liberada.
Deve ser limitada a 2 veículos por estabelecimento.
Deve ser proibida.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
24.07.17
Restaurante Fitazul oferecerá café g...
24.07.17
CEEE fará desligamentos nesta segund...
24.07.17
Inscrições para o Fies começam nesta...
24.07.17
Grupo de Corredores de Rua organiza ...
24.07.17
Educa Mais Brasil disponibiliza bols...
24.07.17
Feriado do Colono e Motorista será d...
24.07.17
Canguçu ganha Centro Judiciário de S...
24.07.17
Confira as ofertas das Lojas Afubra...
24.07.17
Agressor é condenado a mais de 8 ano...
24.07.17
Nutricionalle com muitas novidades e...
24.07.17
Confira os serviços da Clínica Brasi...
24.07.17
Constrular: acabamentos para obra, i...
22.07.17
Rede Globo entrevista palestrante do...
22.07.17
Linha de ônibus Canguçu - Piratini s...
22.07.17
Vida além da vida: Prisão...
22.07.17
O Sétimo Anjo, de André Pereira...
21.07.17
Más condições da ERS-265 interrompem...
21.07.17
Festa do Colono e Motorista no Cangu...
21.07.17
Funerária Santo Antônio: 50 anos de ...
21.07.17
LM Baterias com deslocamento grátis ...
+
Lidas
1
Funerária Santo Antônio: 50 anos de experiên...
2
Agressor é condenado a mais de 8 anos de pri...
3
Conheça a Radiol Centro de Diagnóstico por I...
4
Conheça o atendimento da psicóloga Josiane M...
5
Conheça o Studio de Atividade Física Stael P...
6
Conheça as novas instalações da Pastelaria P...
7
Cartório Civil de Canguçu anuncia 13 casamen...
8
Grupo de Corredores de Rua organiza rústica...
9
Festa do Colono e Motorista no Canguçu Velho...
10
LM Baterias com deslocamento grátis até 30 q...
  • Canguçu On Line
Canguçu On Line - O Jornal diário de Canguçu © 2017 - Todos os direitos reservados